“Democracia hoje” por José Arthur Giannotti

“A política só pode começar quando algum acordo passa a acontecer. A política é anterior ao Estado e anterior à sociedade civil. (…) A partir de um certo momento, pra se ter política é necessário uma tolerância com o inimigo e exigir dele uma certa cooptação. É uma relação de adversário e associados. Mas sempre à beira da ruptura. (…) A democracia moderna depende de um processo de geração de riquezas chamado capitalismo. O capitalismo é um processo de formação de riqueza que tem um mecanismo especial, pois ele cria riquezas que geram mais riquezas e também conflitos a partir de desigualdades”, essas foram algumas reflexões do filósofo José Arthur Giannotti, um dos fundadores do Cebrap, no seminário ‘Democracia hoje’.

Segue a íntegra da apresentação:

Leia Também

Paulo Todescan Mattos apresenta seminário sobre cooperações público-privadas no desenvolvimento industrial. O Estado tomador de riscos: cooperações público-privadas no desenvolvimento industrial Paulo Todescan Mattos, professor de Direito Econômico da FGV-RJ, pesquisador do CEBRAP e atualmente Diretor Vice-Presidente de Regulamentação da Oi. Foi Superintendente do BNDES. 18 de junho, sexta, às 16h no Auditório do Cebrap

O Cebrap lamenta profundamente o falecimento de um de seus fundadores, o economista Paul Singer, na tarde desta segunda-feira, 16 de abril de 2018. ​Paul teve enorme relevância para o Cebrap e para o país, por suas pesquisas [caso de ‘São Paulo 1975: Crescimento e Pobreza’], por seus escritos e sua atuação pública. Economista inicialmente […]

O CEBRAP lamenta o falecimento de Mauricio Segall ocorrido neste domingo, 31/7. Museólogo e economista, Maurício Segall era sócio do CEBRAP. Na edição desta terça-feira, 2/8, do jornal Folha de S.Paulo, Roberto Schwarz publicou um depoimento com um breve perfil de Mauricio Segall. Clique aqui para ler.

Nota de falecimento O Cebrap lamenta o falecimento do cientista político argentino Guillermo O’Donnell, um dos principais teóricos do autoritarismo e da democracia na América Latina. Entre seus trabalhos seminais estão Modernización y autoritarismo (1972) e El Estado burocrático autoritário (1982), estudos cruciais para a compreensão das origens e da natureza dos regimes autoritários da […]