Cebrap.lab 1º. Semestre de 2019

O cebrap.lab está de volta neste semestre. A iniciativa, coordenada por Maria Carolina Oliveira e Monise Picanço, tem o objetivo de difundir conhecimento analítico através de um programa de cursos aplicados de métodos, técnicas e ferramentas de pesquisa em Ciências Sociais. O cebrap.lab é destinado a pesquisadores que desejam atualizar seus conhecimentos, estudantes ou gestores públicos ou privados que lidam com pesquisa ou análise de informação.

Os cursos são pensados como laboratórios, com foco em grupos pequenos de participantes, possibilitando uma entrada prática no tema ou ferramenta em questão, contemplado exercícios práticos e experimentações. Os laboratórios são ministrados por pesquisadores que utilizam empiricamente a ferramenta em questão em suas pesquisas. Além de aspectos operacionais relacionados ao uso das técnicas, cada laboratório também envolve uma discussão introdutória sobre o método ou ferramenta, seus pontos fortes e limitações e os casos de pesquisa para os quais eles são mais adequados.

Cada laboratório têm duração de 20h, divididas em 5 dias de 4 horas. Todos os cursos ocorrem no período da manhã, entre 9h e 13h. O custo por laboratório é de R$ 400,00.

No primeiro semestre de 2019, serão oferecidos:

[11 a 15 de março] Análise de dados qualitativos utilizando Atlas.ti [20 horas], por Monise Picanço | Inscrições

[8 a 12 de abril] Etnografia: explorando múltiplos fazeres etnográficos [20 horas] por Priscila Vieira | Inscrições

[6 a 10 de maio] Introdução e ferramentas para análises quantitativas utilizando SPSS [20 horas] por Victor Calil e Daniela Costanzo
| Inscrições

[3 a 7 de junho] Análise de redes sociais utilizando Pajek [20 horas] por Rafael de Souza | Inscrições

Dúvidas no e-mail:

 

CURSOS

[11 a 15 de março] Análise de dados qualitativos utilizando Atlas.ti [20 horas]

Sobre o curso

A proposta do curso é fornecer ferramentas para potencializar a análise do material qualitativo coletado a partir de entrevistas, observação e anotações e/ou materiais documentais. Trabalharemos com o método da codificação, forma de análise que ganha corpo nas Ciências Sociais em meados de 1960 e se dissemina, sobretudo, a partir da construção dos softwares de codificação. Para compreender esse método, apresentaremos duas perspectivas analíticas que utilizam codificação [Grounded Theory e Análise de Conteúdo]. A partir dessa discussão, faremos exercícios práticos com o software Atlas.ti e veremos como a leitura e a interpretação dos dados qualitativos podem ser aprimoradas com o uso de diferentes técnicas de codificação, fragmentação e cruzamento. O curso contempla ainda uma introdução às pesquisas do tipo qualitativas, em que se apresentam os pontos fortes e limitações dessa abordagem e os tipos de situações e problemas empíricos que favorecem seu uso.

Professor: Monise Picanço

Monise Picanço é mestra e doutora em Sociologia pela USP. Coordenadora do cebrap.lab, é professora de Metodologia e Análise qualitativa com uso do software Atlas.ti, com passagem pelo cebrap.lab, Unicamp, Programa de Treinamento Intensivo em Metodologia Quantitativa da UFMG [MQ-UFMG] e Metodológicas CEM [USP]. Pesquisadora do Núcleo de Desenvolvimento do Cebrap desde 2010 com experiência nos temas em coleta e análise qualitativa e quantitativa em pesquisas sobre educação, mercado de trabalho e políticas públicas. Foi pesquisadora associada ao Centro de Estudos da Metrópole entre 2010 e 2017 e atuou em projeto com parceira com o Ministério do Desenvolvimento Social sobre inclusão produtiva de beneficiários de políticas sociais do Governo Federal [2014-2016].

[8 a 12 de abril] Etnografia: explorando múltiplos fazeres etnográficos [20 horas]

Sobre o curso

A etnografia é um método de pesquisa com muitas potencialidades. O objetivo do curso é oferecer uma introdução ao método e explorar as possibilidades e desafios envolvidos nos diferentes tipos de etnografia. Vamos tratar de conceitos e fundamentos básicos, além de dilemas éticos, técnicas de observação, registro e sistematização de dados. Discutiremos também as especificidades dos diversos tipos de etnografia como: institucional, biográfica, auto-etnografia, etnografia da e na internet. A proposta do curso inclui duas atividades práticas: a) observação presencial orientada e b) exercício de etnografia em ambiente virtual. Essas atividades proporcionarão a oportunidade para elaboração de cadernos de campo e sistematização de dados, bem como a reflexão sobre diferenças e semelhanças entre dois tipos de fazer etnográfico.

Professora: Priscila Vieira

Priscila Vieira é mestra e doutora em Sociologia pela USP. Pesquisadora do Cebrap desde 2016, também presta consultoria em pesquisa  qualitativa para diversos institutos privados e organizações do terceiro setor. Foi pesquisadora do Centro de Estudos da Metrópole (CEM) entre 2002 e 2016. Tem mais de quinze anos de experiência em coordenação, condução e análise de estudos qualitativos – acadêmicos e de mercado-, incluindo pesquisas etnográficas. Para o desenvolvimento de seu mestrado e doutorado, usou a etnografia como método privilegiado. É autora do livro “A experiência da procura de trabalho: vivências, significados e interações” (2012), baseado em sua dissertação, onde apresenta uma etnografia de situações de procura de trabalho.

[6 a 10 de maio] Introdução e ferramentas para análises quantitativas utilizando SPSS
[20 horas]

Sobre o curso

O curso apresenta uma introdução à utilização de dados quantitativos nas Ciências Sociais, refletindo sobre sua aplicabilidade e limites.O objetivo do curso é tornar o aluno apto a trabalhar com bancos de dados, apresentando desde a estrutura do banco de dados até a análise dos dados com o software SPSS. Começamos esse trabalho a partir da apresentação da estrutura de um banco de dados, abordando os tipos de variáveis existentes e as formas de buscar, baixar e abrir um banco de dados da internet. Em seguida, abordaremos as estatísticas descritivas, construção de tabelas e de gráficos. Parte-se então para o cruzamento e criação de variáveis. Ensinaremos ainda a fazer séries históricas, manipular diversos bancos de dados e automatizar alguns processos através da produção de algumas sintaxes. Por fim, discutiremos agrupamentos, correlações e regressões de forma introdutória. Não é preciso ter qualquer conhecimento prévio para fazer este curso, que pretende introduzir os iniciantes na análise de dados quantitativos. Serão utilizadas aulas expositivas e exercícios práticos.

Professores: Victor Calil e Daniela Costanzo

Victor Callil

Mestre em sociologia pela Universidade de São Paulo (USP). Pós-graduado em pesquisa de marketing, mídia e opinião pública pela Fundação Escola de Sociologia e Política (FESP-SP). Possui graduação em Turismo pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). É pesquisador do Núcleo de Desenvolvimento do Cebrap desde 2009 onde participa de pesquisas sobre mobilidade urbana e políticas públicas. Trabalha com o tema da mobilidade por bicicleta desde 2011. Participou da elaboração das Ciclorrotas (2011 e 2012) e do mapeamento do Bike Sampa (2012). Compõe a equipe responsável pela elaboração de indicadores e análise de acompanhamento de sistemas de bicicleta compartilhada em 6 cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Porto Alegre e Recife (2012 – 2017). Realizou pesquisas quantitativas e qualitativas com ciclistas (2012 – 2015) e com gestores públicos (2016). Desenvolve trabalhos técnicos de contagem (2014, 2014, 2017), além de trabalhos acadêmicos na área (2017/18). Trabalha com manipulação, análise e georreferenciamento de dados em programas estatísticos e GIS.

Daniela Costanzo

Doutoranda em Ciência Política pela USP com experiência nas áreas de política urbana, economia e política e desenvolvimento econômico e urbano. É pesquisadora do Cebrap desde 2015, passou por cursos de metodologia no CEM, Cebrap, IPSA-USP e UNESCO. Trabalha com dados quantitativos e qualitativos e Sistemas de Informação Geográfica. É bacharela em Ciências Sociais pela USP e mestra em Ciência Política pela mesma instituição. Fez iniciação científica no Centro de Política e Economia do Setor Público da FGV-SP (CEPESP), foi estagiária do Metrô de São Paulo e atuou como professora do Ensino Médio.

[3 a 7 de junho] Análise de redes sociais utilizando Pajek [20 horas]

Sobre o curso

A Análise de Redes Sociais (ARS) é um campo em expansão que tem se espraiado para várias disciplinas tais como antropologia, sociologia, ciência política, física, comunicação, etc.  O eixo do curso é apresentar as várias  técnicas da análise de redes   sem perder de vista as ideias substantivas comuns às  disciplinas que a utilizam como aporte metodológico.  A análise de rede tem sido utilizada nessas disciplinas como ferramenta de interrogação de fenômenos complexos como a distribuição relacional de poder, cooperação, conflito, capital social, difusão de inovações, etc. O material recoberto no curso  será consolidado através do uso do software Pajek com exercícios práticos.  O objetivo  principal é fornecer as ferramentas teóricas e metodológicas básicas do campo para que os alunos possam adaptar criativamente esse instrumental em suas respectivas áreas de interesse. A estrutura do curso enfatiza as principais etapas na utilização da técnica como a coleta e preparação dos dados, uso e aplicação correta de métricas e a visualização dos dados.

Professor: Rafael de Souza

Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia pela Universidade de São Paulo. Teve passagem pelo Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia. Pesquisador do CEBRAP desde 2015. Ministrou aulas sobre análise de redes sociais  e construção de bancos de dados no Laboratório de Pesquisa Social – USP e também da Fundação Escola de Sociologia e Política.  Atua na área de sociologia política e de movimentos sociais, com ênfase na relação entre cultura e política na construção social do ativismo e nas mediações organizacionais promovidas pelas redes em que as identidades políticas se formam.Tem experiência na área de análise de redes sociais, análise de eventos e pesquisa qualitativa.