Cebrap e Itaú lançam Estudos de Mobilidade por Bicicleta 3

Foi lançado nesta quinta, 1º de outubro, o livro ‘Desafio – Estudos de Mobilidade por Bicicleta 3‘, mais um fruto do Desafio Mobilidade Itaú-Cebrap, projeto que tem como objetivo fomentar a produção de conhecimento sobre mobilidade por bicicleta no Brasil. Os artigos deste novo volume são:

  • Economia ciclofeminina: estudo do uso da bicicleta como trabalho por mulheres ambulantes na cidade do Rio de Janeiro“, por Vivian Garelli, mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia na UFF e cientista social pela UERJ.
  • Articulação entre transporte coletivo e bicicleta: metodologia para análise em múltiplas escalas aplicada à cidade de Belo Horizonte“, por Laíse Hasz, bacharel em Ciências Sociais pela UFMG e mestra no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFMG.
  • Entrega por bicicleta em São Paulo: mercado, trabalho e práticas ciclísticas“, por Guilherme Minarelli, doutorando e mestre no Departamento de Ciência Política da USP.
  • Acessibilidade com bicicleta em São Paulo: compreendendo potencialidades e desafios“, por Pedro Logiodice, engenheiro civil formado pela USP e atualmente aluno de Mestrado no Programa de Engenharia de Transportes da Escola Politécnica da USP.
  • A produção de conhecimento sobre bicicleta: teses e dissertações em mobilidade urbana no Brasil“, por Gláucia Pereira, especialista em mobilidade urbana bacharel em Física e mestre em Administração, ambos pela USP. A base de dados do artigo de Gláucia pode ser baixado aqui – Base de 255 Teses e Dissertações

DOWNLOAD – DesafioMobilidade3_eBook

Também é possível solicitar uma edição impressa preenchendo um formulário AQUI.

Os dois volumes anteriores do projeto ‘Estudos de Mobilidade por Bicicleta‘ podem ser baixados gratuitamente: DesafioMobilidade1_eBook e DesafioMobilidade2_eBook

Segue abaixo a íntegra do evento online de lançamento do terceiro volume do ‘Estudos de Mobilidade por Bicicleta 3‘ que contou com as presenças de Luciana Nicola [Superintendente de Relações Institucionais, Sustentabilidade e Negócios Inclusivos do Itaú Unibanco S.A.], Hannah Arcuschin Machado [Coordenadora de Urbanismo e Mobilidade na Vital Strategies] e dos autores deste volume: Vivian da Silva Garelli Machado, Laíse Hasz, Guilherme Nascimento Minarelli, Pedro Logiodice e Glaucia Pereira. Mediação de Victor Callil, pesquisador do Cebrap e um dos coordenadores do projeto.

Juntamente com o evento online de lançamento do terceiro volume foi também anunciado os nomes dos(as) pesquisadores(as) escolhidos para a quarta turma do Desafio Mobilidade. As propostas de estudos serão desenvolvidos por seis meses e os(as) selecionados(as) receberão o valor total de R$ 10.000 (dez mil reais) e participarão de cursos e oficinas de formação de métodos e técnicas de pesquisa, grupos de discussão e encontros de orientação para a elaboração do trabalho. Ao final do processo, os cinco artigos farão parte uma nova publicação editada pelo Itaú e pelo Cebrap.

Seguem os(as) participantes e seus projetos:

Bruna Barradas Cordeiro: bacharela em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mestre em Sociologia na linha de pesquisa Sociologia Urbana e das Populações pela mesma Universidade. Pesquisadora do Centro de Estudos Urbanos (CEURB) da UFMG, com experiência em pesquisas sobre mobilidade urbana, comércio popular urbano e economia informal em espaços de mobilidade
Tema de estudo: Compreender como a bicicleta aparece no debate público sobre mobilidade urbana no contexto da pandemia de Covid-19 em São Paulo, Cidade do México e Belo Horizonte.

Eduardo Altheman: bacharel em Ciências Sociais, mestre e doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo. Atualmente é pós-doutorando, também em Sociologia, na mesma instituição.
Tema de estudo: entender os alcances e os limites da noção de empreendedorismo entre os entregadores por aplicativo no Brasil que fazem uso da bicicleta como meio de transporte e trabalho.

Flávio Soares: é coordenador do projetos na Ciclocidade e consultor para temáticas relacionadas à mobilidade urbana, em especial de mobilidade ativa. Formado em Comunicação Social – Jornalismo pela PUC-SP, tem pós graduação em Gestão de Sustentabilidade pela FGV-SP. É aluno especial de mestrado na área de geoprocessamento na Escola Politécnica da USP-SP.
Tema de estudo: irá realizar uma análise dos acidentes na cidade de São Paulo. Pretende verificar se a infraestrutura cicloviária ajuda a reduzir acidentes para todos os modais.

Livia Diniz: economista pela Unicamp e mestra em administração pública e governo pela FGV. Desde a monografia tem interesse em mobilidade por bicicleta, o que a levou a fazer um intercâmbio em Groningen, buscando opções para implementar no Brasil. Sua dissertação teve como foco a possibilidade de crianças adotarem o modo ativo como transporte escolar.
Tema de estudo: irá verificar o impacto na saúde e no nível de emissão de CO2 se as viagens para a escola em São Paulo fossem realizadas por bicicleta.

Pedro Bastos: administrador (com ênfase em Políticas Públicas), com doutorado em andamento na área de Planejamento Urbano e Regional pelo IPPUR-UFRJ. É pesquisador do Laboratório de Mobilidade Sustentável (LABMOB-UFRJ) e do INCT Observatório das Metrópoles. Tem experiência como consultor e revisor em diversos projetos de pesquisa interinstitucionais sobre mobilidade urbana (em especial, mobilidade por bicicleta e mobilidade corporativa).
Tema de estudo: analisar a relação entre a produção do espaço urbano e o papel da imprensa na formação e disseminação de uma opinião pública incentivadora à bicicleta na mobilidade urbana das cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo nos últimos 10 anos (2010-2020).

Leia Também

No início de outubro, a Fundação Carlos Chagas anunciou as três vencedoras da 8ª Edição do Prêmio Prof.º Rubens Murillo Marques. A premiação, criada em 2011, “tem como objetivo valorizar e divulgar experiências formativas propostas e realizadas por docentes dos cursos de Licenciatura na formação de professores para a Educação Básica”. As professoras premiadas, e […]

O objetivo da Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais [ou São Paulo School of Advanced Studies in Social Science/SPASS] é apresentar conhecimento de ponta sobre distintas dimensões das sociedades democráticas contemporâneas submetidas a pressões entrecruzadas resultantes dos impactos da globalização sobre a dinâmica das desigualdades; da formação de identidades coletivas diversificadas e de sua […]

A última edição da revista Fapesp destacou a atuação do CEBRAP como um dos principais centros de pesquisas privados de São Paulo. A matéria coloca a instituição como uma referência em políticas públicas e destaca a forma de mantenção da casa. Para conferir a matéria completa, clique aqui.