DesJus e Fundação Tide Setúbal lançam Oficinas de Formação 

O Desjus (Desenvolvimento, Justiça e Cidadania), grupo de pesquisa do Núcleo de Estudos Internacionais do Cebrap, e a Fundação Tide Setúbal criaram as Oficinas de Formação do Desjus, um projeto que visa abrir caminhos para a justiça na democracia brasileira. As Oficinas, intituladas “Quais Lutas e Quais Imaginações?”, foram concebidas como espaços de experimentação e cocriação política, nos quais os participantes terão a oportunidade de explorar modos de conhecer, agir e transformar o mundo ao seu redor.

Esses encontros oferecerão uma plataforma para a convergência de diversos saberes, pontos de vista, vocabulários e vozes de pesquisadores, ativistas, militantes e professores. O objetivo principal das Oficinas é analisar cinco agendas de intervenções políticas antirracistas e radicalmente igualitárias que estão em andamento no Brasil. Ao dedicar-se à criação e à nomeação, as Oficinas alinham-se com projetos que buscam estabelecer novas institucionalidades no país, caracterizadas pela participação política, distribuição econômica e restauração histórica.

As Oficinas de Formação do Desjus serão realizadas de forma virtual, entre os meses de junho e outubro, sempre às 17h, no Canal do Cebrap do YouTube.

A primeira oficina ocorrerá no dia 16/6, às 17h, com o tema “Os desafios das lutas de transformação social”. Neste encontro inicial, Flávia Rios e Juliana Borges serão as palestrantes e abordarão as transformações sociais, as lutas políticas e a ideia de transição, bem como o tipo de imaginação política possibilitada por essas transformações. Além disso, a discussão contará com a participação de Uvanderson Vitor da Silva, que desempenhará o papel de mediador.

Leia Também

O segundo dia de atividades da Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais aconteceu em um sábado, 24 de março, e a única atividade foi uma mesa redonda que reuniu Otaviano Canuto [The World Bank], Marta Arretche [USP/CEM-Cebrap] e Ricardo Paes de Barros, chefe economista do Instituto Ayrton Senna e professor no Insper [Instituto de […]

“A política só pode começar quando algum acordo passa a acontecer. A política é anterior ao Estado e anterior à sociedade civil. (…) A partir de um certo momento, pra se ter política é necessário uma tolerância com o inimigo e exigir dele uma certa cooptação. É uma relação de adversário e associados. Mas sempre […]

A segunda edição do Desafio Longeviver nos convida mais uma vez a refletir sobre o envelhecimento da população brasileira e os desafios para o mercado de trabalho.