Observatório de Ações Afirmativas na Pós-graduação é lançado, com coordenação de Anna Venturini

Foi lançado em maio o Observatório de Ações Afirmativas na Pós-graduação (Obaap). O Observatório decorre de pesquisa de pós-doutorado de Anna Venturini desenvolvida no IPP (Programa Internacional e Interdisciplinar de Pós-Doutorado do Cebrap) e no Afro-Cebrap (Núcleo de Pesquisa e Formação em Raça, Gênero e Justiça Racial do Cebrap).

Ele tem por objetivo monitorar editais de programas de pós-graduação (PPGs) e resoluções de universidades públicas que adotam ações afirmativas (AAs) em suas seleções. O site do Obaap contém um banco de dados com os editais de todos os PPGs com AA e todas as resoluções de universidades que adotaram essa medida na pós-graduação, além de artigos e outros materiais sobre a temática. O observatório disponibiliza, ainda, um mecanismo de busca que permite localizar os programas de acordo com filtros como área do conhecimento, nota da Capes e região.

“A criação do Obaap foi motivada pelo fato de haver uma escassez de dados públicos sobre ações afirmativas na pós-graduação”, destaca Venturini. O observatório conta com apoio do Instituto Serrapilheira e do Instituto Ibirapitanga.

O levantamento observou que, em 2018, havia 737 programas com políticas afirmativas. Ou seja, em quase quatro anos, 794 novos programas aderiram a esse tipo de política. Entre os 2.817 programas de pós-graduação da amostra, 45,4% não criaram ações afirmativas, e 0,2% não fizeram porque o número de vagas era inferior ao mínimo previsto na resolução da universidade. Além disso, 86% dos programas de pós-graduação com ações afirmativas estão nas universidades federais e apenas 14% em universidades estaduais.

O sistema de cotas (reservas de vagas para pessoas de grupos específicos) é o predominante entre as modalidades de ações afirmativas – adotado por 73% dos programas. Em seguida vem a modalidade de cotas + vagas suplementares (23,1%), cotas + bônus (4,6%) e vagas suplementares (3,5%). Alguns dos principais grupos beneficiados são: pessoas que se autodeclaram pretas, pardas e indígenas; pessoas com deficiência; quilombolas; pessoas trans, entre outros. Acesse o site do Obaap para saber mais sobre as diferentes modalidades de ações afirmativas mapeadas.

Leia Também

A segunda edição do Desafio Longeviver nos convida mais uma vez a refletir sobre o envelhecimento da população brasileira e os desafios para o mercado de trabalho. Iniciativa do Cebrap e do Itaú Viver Mais, o programa tem como objetivo incentivar a produção de conhecimento e apoiar pesquisadores que tenham interesse em investigar a temática. Cinco pesquisadores, de diferentes partes […]

A quarta mesa das Jornadas Sesc Cebrap: Pesquisa e Futuro, mais um evento comemorativo da série #Cebrap50anos, aconteceu na quinta, 12 de agosto. Com mediação do cientista político Rúrion Melo, o debate tratou de “Raça, gênero, sexualidade e reprodução” e trouxe a socióloga e professora da FFLCH-USP Márcia Lima e a antropóloga Sandra Garcia, ambas […]

Foi realizado na noite desta quinta-feira, 13/7, em Berlin, o encontro de abertura do seminário de inauguração doMerian Centre Conviviality in Unequal Societies: Perspectives from Latin America. A iniciativa é formada por um consórcio de sete instituições de pesquisa de ciências sociais e humanidades – Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP), Universidade de São […]