Revista Novos Estudos Cebrap publica nova edição com texto inédito de José Arthur Giannotti

O número 120 da revista reúne oito artigos, dentre eles um texto inédito de José Arthur Giannotti, além de ensaio visual da artista plástica Silvia Mecozzi

A revista Novos Estudos Cebrap lança nesta semana a sua 120ª edição. O primeiro artigo apresenta texto inédito de José Arthur Giannotti, um dos fundadores do Cebrap e seu presidente em duas ocasiões, que morreu em julho deste ano, aos 91 anos. Neste texto, Giannotti revisita brevemente os conceitos que foram centrais para a estruturação de seu pensamento filosófico.

No artigo seguinte, Débora Alves Maciel e Marta Rodriguez de Assis Machado reexaminam os protestos de junho de 2013 para argumentar que a repressão policial praticada contra os manifestantes não só encorajou cidadãos comuns a se juntarem às marchas na rua, como também impulsionou mudanças nas respostas dos governos local e federal aos protestos e em repertórios repressivos de controle social. O ensaio de Christina Vital da Cunha, ao analisar o ativismo negro e religioso da Frente Parlamentar de Terreiros em duas legislaturas (2011-2015 e 2015-2019), reflete sobre as modalidades de inserção pública de religiosos de matriz afro-brasileira na política.

Anna Carolina Venturini recupera os fatores determinantes que fizeram com que a pauta das ações afirmativas na pós‑graduação das universidades brasileiras ingressassem na agenda decisória da Capes e do MEC, processo que envolveu diversos atores sociais e políticos e que resultou na criação da Portaria Normativa n. 13/2016. José Angelo Machado, Guilherme Quaresma Gonçalves, Mauro Lúcio Jeronymo e Carmem Emmanuely Leitão Araújo analisam a evolução das despesas em saúde realizadas pelos municípios brasileiros após a vigência da Emenda Constitucional 29/2000.

A revista conta também com três ensaios dedicados às artes plásticas e à literatura. Ana Paula Pacheco lê o romance O pai da menina morta, do escritor paulista Tiago Ferro, à luz da reconfiguração das relações entre natureza, tragédia e capitalismo durante a pandemia de Covid-19. Leandro Pasini investiga a influência do modernismo brasileiro na produção dramática, poética e ensaística do crítico literário Roberto Schwarz. Fechando a revista, Rafael Marino aproxima as obras de Rubem Valentim e Hélio Oiticica para discutir os caminhos que a antropofagia percorreu na arte brasileira ao longo do século XX.

A revista impressa conta ainda com ensaio visual da artista e escultora Silvia Mecozzi intitulado “Foi tão corpo que foi puro espírito”.

Os textos dessa edição podem ser lidos gratuitamente em
http://novosestudos.com.br/edicao-atual/.
Para compra avulsa ou assinatura anual, consulte:
http://novosestudos.com.br/assinatura/

 

Imagem: ensaio visual de Silvia Mecozzi

Leia Também

O CEBRAP lamenta a perda de Antonio Candido, autor de extensa e inestimável contribuição para o pensamento social no Brasil e no mundo. Membro do quadro de sócios do CEBRAP desde 1971, Candido foi um mestre para várias gerações de pesquisadores em literatura e ciências humanas. Que a erudição e o rigor crítico do professor […]

Morreu na madrugada desta terça, 27 de outubro, aos 79 anos, José Alberto Magno de Carvalho, professor emérito da Faculdade de Ciências Econômicas/UFMG. Uma das maiores referências na demografia brasileira, José Alberto integrou o grupo de fundadores do Centro de Estudos em Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar), foi fundador e primeiro presidente da Associação Brasileira […]