Revista Novos Estudos lança sua 125ª edição

Além dos artigos de diversas áreas, a nova edição da Novos Estudos apresenta o dossiê Conexões Marginais e um ensaio visual assinado por Dalton Paula.

A Novos Estudos Cebrap lançou, esta semana, a sua 125ª edição, reunindo nove artigos e ensaio visual assinado pelo artista plástico Dalton Paula. Abre a revista o dossiê temático “Conexões marginais: periferias, mercados ilegais e a expansão das facções criminais no Brasil”, coordenado pelos pesquisadores Fernando de Jesus Rodrigues, Gabriel Feltran e Gregório Zambon.

No primeiro artigo, Adson Ney Amorim e Gabriel Feltran discutem como o mundo do crime pode se apresentar como uma possibilidade de mobilidade social para populações marginalizadas. Em seguida, Isabela Vianna Pinho, Fernando de Jesus Rodrigues e Gregório Zambon investigam a expansão das facções por meio da jornada da cocaína nas fronteiras e nos territórios brasileiros. Ada Rízia Barbosa de Carvalho, Simon Rodrigo da Costa Jara e Nido Farias dos Santos, por sua vez, analisam comparativamente a expansão das fraternidades criminais a partir de um estudo de campo realizado nos municípios de Maceió (AL) e São Luís (Maranhão). Por fim Marcelli Cipriani, Nicolas Santiago Lien e Alana Barros Santos relacionam os processos de estruturação do tráfico de drogas em Porto Alegre e Córdoba, entre os anos 2000 e 2015.

O economista e cientista político Luiz Carlos Bresser-Pereira elabora o surgimento de um novo gerencialismo, ao mesmo tempo democrático e desenvolvimentista, em meio ao colapso do neoliberalismo. A partir de dois estudos de caso – o do Movimento Interfóruns de Educação Infantil do Brasil (MIEIB) e o do Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR) – Monika Dowbor, Janaina Vargas de Moraes Maudonnet e José Domingos Cantanhede Silva analisam a interação entre o Estado e as organizações de movimentos sociais. Marcos Luiz Vieira Soares Filho também discute o problema das relações entre Estado e sociedade, investigando os entraves que dificultam o desenvolvimento de conhecimentos sobre políticas públicas em comparação com os avanços na compreensão dos movimentos sociais.

Lucas Pedretti aponta como o vocabulário dos direitos humanos permitiu que no Brasil fossem construídas novas formas de narrar, descrever e denunciar a violência da ditadura militar iniciada com o golpe de Estado de 1964. Fecha a revista o artigo de Márcia Jucá Teixeira Diniz e Marcelo Bentes Diniz, que apresenta o ciclo virtuoso pelo qual o Sistema de Educação Superior no Brasil passou entre os anos de 1990 e 2015.

A edição impressa da Novos Estudos 125 conta ainda com o ensaio visual “Assentar”, do artista plástico Dalton Paula, e pode ser adquirida independentemente no site da revista, no valor de R$50, ou dentro do plano de assinatura anual, no valor de R$120. Estudantes de graduação e pós-graduação recebem desconto na assinatura. Para saber como assinar a revista impressa, visite o link: https://novosestudos.com.br/assinatura. Os textos dessa edição podem ser lidos gratuitamente em http://novosestudos.com.br/produto/edicao-125/

Leia Também

O número 120 da revista reúne oito artigos, dentre eles um texto inédito de José Arthur Giannotti, além de ensaio visual da artista plástica Silvia Mecozzi A revista Novos Estudos Cebrap lança nesta semana a sua 120ª edição. O primeiro artigo apresenta texto inédito de José Arthur Giannotti, um dos fundadores do Cebrap e seu presidente em duas […]