Estruturas e Linguagens de Exclusão: Brasil 2015

Neste seminário, as exposições e debates que serão realizados têm por objetivo revisar, aprofundar e discutir estruturas e políticas de Governo que, ao serem criadas desde o início dos anos 80, tinham por finalidade superar e eliminar desigualdades de raça/etnias e de gênero no país. Apesar das mudanças institucionais, de linguagens, normativas e exigibilidade de direitos, o país assiste à manutenção de patamares de desigualdades, expressos em evidências produzidas por pesquisas e também demarcadas nas demandas institucionais, de movimentos sociais e das ruas. Visíveis em variados cenários como das instituições e políticas no campo da Saúde e Direitos Sexuais e Reprodutivos, ou daquelas associadas à Segurança Pública, os co da Violência Institucional são expressões de contínuas e contundentes desigualdades futuras. Expressões recentes de violência explícita a mulheres nas ruas mostram a urgência de seguir compartilhando linguagens que permitam continuar tecendo imaginários de solidariedade, justiça e direitos. Venha assistir e debater com Márcia Lima, Marta Azevedo, Sonia Correa, Jacqueline Pitanguy, José Maurício Arruti, Elza Berquó, Alaerte Martins, Cristiane Cabral, Emanuelle Goes, Fátima Oliveira, Richarlls Martins, Adriana Vianna, Rosane Borges, Vera Regina Baroni.

Leia Também

Mais uma vez o Cebrap foi apontado com um dos melhores think tanks do Brasil e do mundo no Global Go To Think Tank, iniciativa criada pela Universidade de Pensilvânia, dos Estados Unidos. Nesta edição o Cebrap foi apontado como o 15º melhor think tank da América Latina e Caribe, entre todas as categorias definidas. […]