“The Bolsonaro Paradox”: novo livro investiga a ascensão dos movimentos de direita

O Cebrap está realizando uma série de seminários com o objetivo de divulgar publicações e obras dos pesquisadores da Casa. A primeira live do Cebrap Lança aconteceu no dia 19/11, com a apresentação do livro “The Bolsonaro Paradox: The Public Sphere and Right-Wing Counterpublicity in Contemporary Brazil”, de autoria de Camila Rocha, Esther Solano e Jonas Medeiros.

A publicação é uma investigação acadêmica aprofundada sobre o movimento que levou Jair Bolsonaro à Presidência no Brasil, tendo como pano de fundo a onda global de novos movimentos de direita.

O livro apresenta os resultados de uma extensa pesquisa de campo realizada ao longo dos anos com apoiadores bolsonaristas e membros da nova direita brasileira. Foram analisados ainda dados quantitativos e qualitativos para acompanhar as transformações aceleradas da esfera pública brasileira, partindo de pequenos grupos liberais e conservadores nas redes sociais para audiências maiores através da publicação de livros, do sistema educacional, da grande mídia e do sistema político-partidário.

Assista à live:

Leia Também

Nota de falecimento O Cebrap lamenta o falecimento do cientista político argentino Guillermo O’Donnell, um dos principais teóricos do autoritarismo e da democracia na América Latina. Entre seus trabalhos seminais estão Modernización y autoritarismo (1972) e El Estado burocrático autoritário (1982), estudos cruciais para a compreensão das origens e da natureza dos regimes autoritários da […]

Na próxima segunda, 5 de agosto, a partir das 11h, o Cebrap sedia mais uma edição do Diálogos Cebrap/Folha.  Com mediação da jornalista Ana Estela de Sousa, da Folha de S. Paulo, o economista Ricardo Paes de Barros (Instituto Ayrton Senna e Insper) e o demógrafo José Marcos Pinto da Cunha (Nepo e IFCH/Unicamp) discutem o […]

O número especial “Dinâmicas da crise” está disponível no site da revista. Participam desse número: Fernando Limongi, Glauco Arbix, Marta Arretche, Angela Alonso, Victor Araujo, Ronaldo de Almeida, Eduardo Marques e Maria Herminia Tavares de Almeida. Os artigos podem ser lidos na íntegra aqui. 

Centro que reuniu intelectuais no auge da ditadura fez concessões para existir; já a geração atual é mais acadêmica. Para se constituir justamente no período mais duro da ditadura militar brasileira, imediatamente após a entrada em vigor do Ato Institucional nº 5, que limitou direitos civis e políticos no país, o Cebrap, que agora completa […]