Conheça os bolsistas do Mecila: Junior Fellows Alain El Youssef e Anna Julia von Sigsfeld

O Mecila recebe bolsistas anualmente para um período de pesquisa de um ano em São Paulo, dividindo seu tempo entre o Cebrap e a USP para eventos e atividades acadêmicas. Como parte de sua integração, o Cebrap também apresentará dois bolsistas quinzenalmente, compartilhando suas contribuições e pesquisas com a comunidade acadêmica.

Alain El Youssef é historiador formado pela Universidade de São Paulo, onde também concluiu seu mestrado, doutorado e pós-doutorado em história social. Membro do Laboratório de Estudos sobre o Brasil e o Sistema Mundial (Lab-Mundi/USP) e coordenador e coordenador do grupo de pesquisa Capital, Estado e Trabalho: A crise da escravidão negra no longo século XIX, Youssef desenvolve no Mecila o projeto “Combatendo a Desigualdade: A Abolição da Escravidão Brasileira em Perspectiva Global, 1879-1888”, analisando a crise definitiva da escravidão negra na América.

 

Anna Julia von Sigsfeld é socióloga, com graduação na Universidade de Frankfurt, mestrado na London School of Economics e doutorado pelo Instituto de Estudos Latino-Americanos da Faculdade Livre de Berlim, dedica-se atualmente à coordenação de restituição no Ethnologisches Museum/Museum für Asiatische Kunst, pertencente à Prussian Cultural Heritage Foundation. Seu projeto no Mecila, “Restituição e conservação do convívio”, investiga como museus etnológicos podem responder ao reconhecimento pós-colonial e explorar o impacto das restituições nas práticas museológicas.

 

Saiba mais no site do Mecila. Acesse aqui.

Leia Também

O terceiro episódio do CebrapCast é uma homenagem ao sociólogo e ex-presidente do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, Vilmar Faria. O episódio foi intitulado “As consequências não intencionais das políticas públicas: a audaciosa teoria de Vilmar Faria sobre a transição demográfica no Brasil” e conta com a particiapação de Eduardo Rios Neto, presidente do […]

Realizada pelo Núcleo de Desenvolvimento do Cebrap em parceria com o Itaú Unibanco, a pesquisa buscou compreender, a partir da percepção dos moradores de 5 capitais brasileiras, os padrões de mobilidade e as questões ligadas a eles no antes, durante e expectativas para depois da pandemia.