Relatório para OIT sobre jovens e mercado de trabalho no Brasil

Está no ar o relatório “Transições e trajetórias juvenis no mercado brasileiro de trabalho: Padrões e determinantes”, texto produzido para o Escritório da Organização Internacional do Trabalho [OIT] em Brasília, em colaboração com o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento [Cebrap].

Publicado em português e inglês, e assinado por Nadya Araujo Guimarães, Leticia Marteleto e Murillo Marschner Alves de Brito, o trabalho tem como objetivo “caracterizar os percursos dos jovens brasileiros no mercado de trabalho, identificando assim os diferentes percursos dos(as) jovens, e as várias transições educacionais, demográficas e laborais seguidas. São essas transições não lineares que influenciaram as trajetórias ocupacionais destes(as) jovens e a possibilidade de alcançar uma inserção no mercado de trabalho em condições de trabalho decente”.

Confira abaixo o relatório nas versões português e inglês:

TET – Transições e Trajétorias Juvenis – BRA

TET – The School to Work Transition in Brazil – ENG

Leia Também

Foi lançado pelo Cebrap em parceria com a Ipiranga o livro “Caminhos e desafios para a mobilidade urbana no século XXI”, no Parque da Mobilidade Urbana, evento realizado no Memorial da América Latina, em São Paulo. O livro é resultado do projeto Desafio Ipiranga-Cebrap: mobilidade e tendências. Nele 5 propostas de pesquisa foram selecionadas e incubadas […]

O Núcleo Direito e Democracia (NDD), do Cebrap, por meio de suas linhas de pesquisa “Esfera Pública e Cultura Política” e “Diagnósticos de Tempo”, lança três diferentes editais para seleção de novos(as) integrantes provenientes de diferentes áreas do conhecimento (economia, sociologia, direito, ciência política, psicologia, antropologia, história, filosofia), e que tenham interesse de participar em […]

O Cebrap apoia iniciativa da ANPOF [Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia], em parceria com a ANPOCS [Associação Nacional de Pós-Gradução e Pesquisa em Ciências Sociais], solicitando ao Senado a reinserção dos conteúdos curriculares de Filosofia e Sociologia como componentes obrigatórios do currículo do ensino médio com carga horária de 12 períodos distribuídos em três anos […]