Confira a edição mais recente da revista Novos Estudos Cebrap

A Novos Estudos acaba de lançar sua edição 122, que traz nove artigos e tem ensaio visual assinado pela artista plástica Elisa Bracher. Além disso, uma nova modalidade de assinatura anual foi criada, direcionada para pesquisadores em formação.

 

A Novos Estudos Cebrap lança, esta semana, a sua 122ª edição, reunindo nove artigos e ensaio visual da artista plástica Elisa Bracher. Abre a revista o artigo de César Braga-Pinto, que analisa a figura do andrógino em três textos de Coelho Neto (1864-1934). Em seguida, Jonas Delecave analisa o ensino de arquitetura na Escuelita de Buenos Aires durante os anos de ditatura militar argentina (1976-1983).

As relações de trabalho e as transformações de um distrito popular na China é tema de artigo de Maurício Reimberg, a partir de análise de Um elefante sentado quieto (2018), do cineasta chinês Hu Bo. Henry Burnett discute em seu texto a recepção no Brasil da obra do filósofo Friedrich Nietzsche e o reflexo dela na produção de escritores brasileiros.

Marília Pereira Bueno e Enio Passiani refletem sobre o modo como a sociologia da moral de Émile Durkheim pode ser interpretada como continuação e superação de certos pontos centrais da teoria de Kant. A partir de um estudo de caso na zona norte de São Paulo, o artigo de Alexandre Abdal e Tomás Wissenbach apresenta uma investigação das estratégias dos Polos de Desenvolvimento adotadas pelo Plano Diretor Estratégico da cidade.

Lizandro Lui, Luciana Leite Lima e Rafael Barbosa de Aguiar examinam como os consórcios intermunicipais se inserem na estrutura de regionalização da saúde, tendo como objeto de análise o estado do Rio Grande do Sul. David Maciel de Mello Neto apresenta os resultados de uma pesquisa sobre o sistema carcerário fluminense, discutindo assuntos como o labirinto da execução penal e traçando um perfil de quem tem mais chance de sair do sistema. Fecha a revista o artigo de Pompilio Locks, que investiga as associações e regimes políticos em Porto Alegre de 1946 até 1988, de modo a compreender as relações socioestatais naquela cidade.

A revista impressa conta ainda com ensaio visual da artista plástica Elisa Bracher intitulado “Recortes da memória”, uma série de gravuras em metal que representam fragmentos de memórias e olhares de lugares e paisagens por onde a artista transitou.

A Novos Estudos 122 pode ser comprada no site da revista ou pode ser adquirida dentro do plano de assinatura anual, no valor de R$ 120. Neste ano a revista criou uma modalidade de assinatura anual direcionada aos estudantes de graduação e pós-graduação, no valor de R$ 80.

Para saber como assinar a revista impressa, visite o link: https://novosestudos.com.br/assinatura.

Os textos dessa edição podem ser lidos gratuitamente em http://novosestudos.com.br/produto/edicao-122/

Leia Também

O Cebrap e seus pesquisadores foram destaque em diversas reportagens em importantes veículos de comunicação ao longo do mês de junho. Confira algumas delas a seguir. G1 – ‘Como é que alguém que dirige o sistema pode ser antissistema?’, questiona cientista social sobre acordo de Bolsonaro com CentrãoCom Marcos Nobre Leia aqui.  Folha de S. […]

Núcleo Democracia e Ação Coletiva do CEBRAP em parceria com IDS (Institute of Development Studies) lança publicação. No dia 19 de maio, às 19 horas, no auditório do CEBRAP, foi lançado o material “Controle Social: dos serviços públicos à garantia de direitos”. Voltado a atividades formativas para organizações da sociedade civil, o material apresenta resultados […]

O Cebrap e o Centro de Estudos da Metrópole são parceiros do seminário Mapeando as desigualdades digitais – Novas metodologias e evidências para políticas públicas que acontecerá em São Paulo, no dia 28 de outubro, a partir das 14h. Iniciativa do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), departamento do […]