Impacto social do uso da bicicleta no Rio de Janeiro

Está no ar nova pesquisa feita pelo Cebrap em parceria com o Itaú. Impacto Social do Uso da Bicicleta no Rio de Janeiro foi elaborada a partir de entrevistas domiciliares com indivíduos de 16 anos ou mais e amostragem com dois grupos distintos: população do município do RJ e ciclistas. A pesquisa foi coordenada por Carlos Torres Freire, diretor científico do Cebrap, e sua amostragem permitiu verificar as condições de deslocamento dos cariocas e medir os impactos individuais e sociais do uso da bicicleta no ambiente, na saúde e na economia.

AMBIENTE

– 37% das viagens de ônibus e 51% das de automóvel poderiam ser pedaladas [viagens de até 8km, das 6h às 20h e por pessoas com menos de 50 anos]. Essa troca poderia levar a uma redução de 18% de emissão de CO².
– 3% de viagens com bicicleta já deixam de emitir 1% de CO².
– No deslocamento: sensações de bem estar [prazer, relaxamento e satisfação] aparecem mais entre ciclistas comparados à população não ciclista do Rio de Janeiro, enquanto sensações negativas [estresse, medo de atrasar, desconforto] aparecem menos.

SAÚDE

– Atividade física X Sedentarismo: entre ciclistas dobro de ativos comparado à população não ciclista carioca [82% x 41%].
– Se perfil da população do Rio de Janeiro fosse como dos ciclistas, haveria 8 milhões de economia no SUS com internações por doenças cardíacas e diabetes [19% do total desse gasto].

ECONOMIA

– Troca por bicicleta nas classes C/D representaria uma redução dos gastos com transporte de 18% para 4% da renda pessoal mensal [economia média de R$ 151 mensais – similar pra quem usa mais transporte público].

PIB

– Se 13% das viagens de automóvel fossem trocadas por bicicleta isso poderia gerar um acréscimo de 118 milhões no PIB.
– Se 15% das viagens de ônibus fossem trocadas por bicicleta isso poderia gerar um acréscimo de 325 milhões no PIB.

BAIXE ESTUDO COMPLETO: Impacto Social do Uso da Bicicleta no Rio de Janeiro_ebook

Leia também:

Leia Também

Foi realizado na noite desta quinta-feira, 13/7, em Berlin, o encontro de abertura do seminário de inauguração doMerian Centre Conviviality in Unequal Societies: Perspectives from Latin America. A iniciativa é formada por um consórcio de sete instituições de pesquisa de ciências sociais e humanidades – Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP), Universidade de São […]

Durante a Reunião Magna da Academia Brasileira de Ciências, realizada na última semana, a pesquisadora do Cebrap Nadya Araujo Guimarães foi empossada como membro titular da entidade. Os membros titulares da Academia Brasileira de Ciências são cientistas radicados no Brasil há mais de dez anos, com destacada atuação científica. Confira abaixo a lista completa dos […]

O pesquisador do CEBRAP José Arthur Giannotti lança nesta quinta-feira, 14/9, a partir das 19h, na livraria Martins Fontes (Av. Paulista, 509), o livro “Os limites da Política” (Companhia das Letras). Na obra, ele e o professor de filosofia da Ufscar Luiz Damon Santos Montinho discutem temas como o lugar da democracia no capitalismo contemporâneo.

Está no ar o segundo episódio do #CebrapPesquisa, série mensal que tem como objetivo divulgar trabalhos em andamento feitos pelo Centro Brasileiro de Análise e Planejamento. A pesquisa da vez trata das manifestações de junho de 2013, também conhecidas como “Jornadas de Junho”, e é coordenada por Angela Alonso, socióloga, professora da USP e presidente […]