O segundo dia das Jornadas Sesc Cebrap

Na quinta, 22 de agosto, duas gerações de pesquisadoras se encontraram na segunda mesa das Jornadas Sesc Cebrap: Pesquisa e Futuro, mais um evento comemorativo da série #Cebrap50anos. Com mediação de Ricardo Teperman, ex-editor da Revista Novos Estudos e atualmente editor da Cia. das Letras, o debate girou em torno do tema “Práticas culturais e cidades” e trouxe Isaura Botelho, que já trabalhou na Funarte e no Ministério da Cultura (gestões Celso Furtado e Gilberto Gil), e Maria Carolina Vasconcelos Oliveira. O evento aconteceu no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc.

Quem se apresentou primeiro foi Maria Carolina que, no Cebrap, coordenou recentemente a pesquisa ‘Fortalecendo redes culturais’. Após definir o termo “práticas culturais” tanto como fruição/consumo cultural quanto como produção de cultura, a socióloga passou a tratar das mudanças ocorridas nos últimos em políticas públicas tanto federalmente quanto municipalmente (no caso, em São Paulo). “Houve, a partir do início dos anos 2000 aqui no Brasil com Gilberto Gil no Ministério da Cultura, uma maior diversificação dos assuntos elegíveis para serem objetos da ação pública na área cultural. (…) Aqui na cidade de São Paulo houve uma grande participação social e uma maior diversidade de vozes na produção cultural nas gestões dos secretários Juca Ferreira e Nabil Bonduki, o que foi desmontado na gestão de André Sturm”, explicou.

Já Isaura Botelho apresentou e comentou dados coletados na pesquisa TIC Cultura 2017 feita em parceria com o Cetic. “Em São Paulo, por exemplo, os museus mais citados foram – para a minha surpresa – o Museu do Ipiranga e o Museu do Imigrante. Já os moradores de Porto Alegre sabem muito e falam bem sobre os museus da cidade e se ressentem pela cidade não ter melhores colocações do que São Paulo. (…) Também conseguimos ver que, em termos de literatura, mesmo gerações mais novas entram nesse mundo via livro impresso e não e-book. (…) Pra mim as novas tecnologias ainda tem muito o que mostrar porque nem todo mundo está na internet”, afirmou. Ouça abaixo a íntegra, em áudio, do debate.

As Jornadas Sesc Cebrap seguem nos dias 29 de agosto e 12, 19 e 26 de setembro. Confira a programação completa AQUI e leia também um pouco do que aconteceu na primeira mesa.

Leia Também

Um dos trabalhos em andamento do Afro-Cebrap começou a divulgar no final de outubro de 2020 uma série de informativos semanais sobre seus achados e análises. Com patrocínio da Ford Foundation, e apoio da Fundação Tide Setubal e do Instituto Ibirapitanga, a pesquisa “Desigualdades Raciais e Covid-19” tem como objetivo sistematizar, analisar e divulgar “dados […]

Organizado pelos pesquisadores Mauricio Fiore e Miriam Dolhnikoff, o livro, além de fornecer subsídios para debates, coloca a instituição paulista na vanguarda da produção multidisciplinar do conhecimento crítico e independente em ciências humanas   Como parte da comemoração dos 50 anos do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (completados em 2019), o livro Mosaico de […]

Está no ar o relatório “Transições e trajetórias juvenis no mercado brasileiro de trabalho: Padrões e determinantes”, texto produzido para o Escritório da Organização Internacional do Trabalho [OIT] em Brasília, em colaboração com o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento [Cebrap]. Publicado em português e inglês, e assinado por Nadya Araujo Guimarães, Leticia Marteleto e […]