Nota de pesar sobre o falecimento de Lúcio Kowarick

É com pesar que comunicamos o falecimento de Lúcio Félix Frederico Kowarick, docente aposentado do Departamento de Ciência Política da USP e sócio do Cebrap [onde atuou como pesquisador nos anos 1970]. Sua morte, aos 82 anos, ocorreu nesta segunda, 24 de agosto, e o sepultamento será realizado nesta terça, às 16h30, no Cemitério Redentor [Av. Dr. Arnaldo, 1105 – Sumaré, São Paulo]. Como o óbito não está relacionado à COVID-19, haverá velório a partir das 14h30, na capela do cemitério.

Kowarick graduou-se em Ciências Políticas e Sociais, pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, em 1961. Obteve o título de mestre em Ciências Sociais – Diplôme D’études Approfondies en Sciences Sociales (DEA), em 1967. Ingressou como professor da USP em 1970 e lá defendeu sua tese de doutorado “Marginalidade urbana e desenvolvimento: aspectos teóricos do fenômeno da América Latina”, em 1973.

Também trabalhou como pesquisador no CEDEC nos anos 1980, tendo sido professor e pesquisador visitante do IRD, do IRESCO e da EHESS, em Paris, do Institute of Development Studies da Universidade de Sussex, na Inglaterra, do Institute of Latin American Studies da Universidade de Londres, do Centre for Brazilian Studies da Universidade de Oxford, e do Japan Center for Area Studies, em Osaka.

Atuava lecionando, orientando e pesquisando nas áreas de movimentos sociais, urbanização, cidade, cidadania e políticas urbanas.

Publicou diversos livros, entre eles “A Espoliação Urbana” (1979), “Trabalho e Vadiagem – A Origem do Trabalho Livre no Brasil” (1987), “Escritos Urbanos” (2000) e “Viver em Risco” (2009, Prêmio Jabuti de Melhor Livro de Ciências Humanas). Foi co-autor de um livro fundamental na história da pesquisa brasileira e na história do Cebrap, “São Paulo 1975: Crescimento e Pobreza” (1976). Em 2013 recebeu o Prêmio Florestan Fernandes, concedido pela Sociedade Brasileira de Sociologia, pelo conjunto de sua obra.

Em setembro de 2017, Kowarick esteve no Cebrap relembrando o trabalho de seu livro “A Espoliação Urbana”. Eduardo Marques, que esteve presente neste seminário, escreveu “A espoliação urbana e o campo dos estudos urbanos no Brasil” como apresentação do debate.

Veja abaixo a íntegra deste seminário que é parte integrante da série ‘Cebrap 50 anos, obras fundamentais’:

Leia também

  • No blog da Novos Estudos Cebrap, uma resenha da reedição de “Trabalho e Vadiagem”.

Leia Também

O Cebrap Sustentabilidade está promovendo um ciclo de encontros para discutir a trajetória histórica da agenda brasileira na promoção de atividades produtivas sustentáveis e mais inclusivas na Amazônia. Serão quatro encontros com uma questão central, “como promover a governança florestal na Amazônia?”. Cada mesa abordará este tema sob uma perspectiva específica: desde os mecanismos de […]

Começou nesta quinta, 15 de agosto, as Jornadas Sesc Cebrap: Pesquisa e Futuro, mais um evento comemorativo da série #Cebrap50anos. Com mediação de Carlos Torres Freire, diretor científico do Cebrap, a mesa “Tecnologia e sociedade” trouxe Fábio Senne, Coordenador de Projetos de Pesquisa TIC no Cetic.br, e Graziela Castello, pesquisadora e diretora administrativa do Cebrap. […]

O Projeto Afro Memória é uma iniciativa que se propõe a recuperar, preservar e disseminar a memória negra através da captação, organização, catalogação e digitalização de acervos do ativismo negro contemporâneo. Já foram realizadas três lives nas redes sociais do Cebrap sobre o projeto. O Projeto Afro Memória é uma parceria Afro Cebrap, Arquivo Edgard […]