Nota de pesar sobre o falecimento de Lúcio Kowarick

É com pesar que comunicamos o falecimento de Lúcio Félix Frederico Kowarick, docente aposentado do Departamento de Ciência Política da USP e sócio do Cebrap [onde atuou como pesquisador nos anos 1970]. Sua morte, aos 82 anos, ocorreu nesta segunda, 24 de agosto, e o sepultamento será realizado nesta terça, às 16h30, no Cemitério Redentor [Av. Dr. Arnaldo, 1105 – Sumaré, São Paulo]. Como o óbito não está relacionado à COVID-19, haverá velório a partir das 14h30, na capela do cemitério.

Kowarick graduou-se em Ciências Políticas e Sociais, pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, em 1961. Obteve o título de mestre em Ciências Sociais – Diplôme D’études Approfondies en Sciences Sociales (DEA), em 1967. Ingressou como professor da USP em 1970 e lá defendeu sua tese de doutorado “Marginalidade urbana e desenvolvimento: aspectos teóricos do fenômeno da América Latina”, em 1973.

Também trabalhou como pesquisador no CEDEC nos anos 1980, tendo sido professor e pesquisador visitante do IRD, do IRESCO e da EHESS, em Paris, do Institute of Development Studies da Universidade de Sussex, na Inglaterra, do Institute of Latin American Studies da Universidade de Londres, do Centre for Brazilian Studies da Universidade de Oxford, e do Japan Center for Area Studies, em Osaka.

Atuava lecionando, orientando e pesquisando nas áreas de movimentos sociais, urbanização, cidade, cidadania e políticas urbanas.

Publicou diversos livros, entre eles “A Espoliação Urbana” (1979), “Trabalho e Vadiagem – A Origem do Trabalho Livre no Brasil” (1987), “Escritos Urbanos” (2000) e “Viver em Risco” (2009, Prêmio Jabuti de Melhor Livro de Ciências Humanas). Foi co-autor de um livro fundamental na história da pesquisa brasileira e na história do Cebrap, “São Paulo 1975: Crescimento e Pobreza” (1976). Em 2013 recebeu o Prêmio Florestan Fernandes, concedido pela Sociedade Brasileira de Sociologia, pelo conjunto de sua obra.

Em setembro de 2017, Kowarick esteve no Cebrap relembrando o trabalho de seu livro “A Espoliação Urbana”. Eduardo Marques, que esteve presente neste seminário, escreveu “A espoliação urbana e o campo dos estudos urbanos no Brasil” como apresentação do debate.

Veja abaixo a íntegra deste seminário que é parte integrante da série ‘Cebrap 50 anos, obras fundamentais’:

Leia também

  • No blog da Novos Estudos Cebrap, uma resenha da reedição de “Trabalho e Vadiagem”.

Leia Também

É com grande alegria que anunciamos o resultado do Edital 2020/21 da Cátedra Itinerante – Inclusão Produtiva no Brasil Rural e Interiorano, uma iniciativa conjunta do Cebrap-Sustentabilidade, da Fundação Arymax, da Fundação Tide Setubal e do Instituto Humanize. O edital recebeu 40 propostas de todo o país e de diferentes centros de pesquisa. As seguintes […]

Saiba mais sobre o último livro lançado por Ernesto Isunza Vera e Adrián Gurza Lavalle. Para el futuro de la democracia en el mundo, la proliferación de experiencias de innovación democrática es el fenómeno más sorprendente desde que los ciclos de las transiciones latinoamericanas y comunistas concluyeron sus fases más dramáticas, para desembocar en la […]